O TEMA

30º. CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DO SUDOESTE GOIANO – CONADE – 2019

3.ª Edição Internacional

6.ª Edição Nacional

33.ª Edição Regional

TEMA:

DEMOCRACIA, DIÁSPORA E EDUCAÇÃO: RELAÇÕES POSSÍVEIS NO CONTEXTO BRASILEIRO, LATINO E MUNDIAL

A Universidade Federal de Goiás/(UFG), Regional Jataí/REJ, contribui de maneira efetiva para o desenvolvimento da região do Sudoeste Goiano, do Estado e do país. Em seus 39 anos de história (DOURADO, 2001), as contribuições desta instituição têm sido significativas, e sem dúvida, a disponibilização de novos profissionais para a sociedade; o desenvolvimento de importantes pesquisas, tanto na área da educação quanto das demais áreas de conhecimento; além dos diferentes projetos de extensão que são desenvolvidos ao longo da história Da Regional. Esta instituição mais que triplicou sua participação nos programas de iniciação científica da UFG/CNPq, todos com mérito de acordo com exigências do CNPq.

O 30º. CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DO SUDOESTE GOIANO – CONADE já está em sua 3ª. edição Internacional, 6ª. edição Nacional e 33.ª Edição Regional. O evento justifica-se pelo compromisso que a Universidade Federal de Goiás/ UFG, Regional Jataí/REJ, desde sua origem, em específico o Curso de Pedagogia, tem em promover ações e atividades que aproximem a comunidade acadêmica e a comunidade em geral e, desse modo, estimulando em sua essência, temáticas significativas e atuais para o campo do debate e da reflexão.

O 30º. CONADE tem por objetivo problematizar: Democracia e Educação. E na discussão e reflexão ter incorporada todas as possíveis outras palavras-chave daí advindas como diáspora, imigração, migração, violência, formação de professores, valorização do trabalho docente, investimentos e políticas na educação básica, entre outras que aos termos principais possam ser agregados a parti do olhar e do pensamento entrecruzado que perpassam as relações entre o local e o mundial e vice-versa.

Os principais termos-chave são amplos, mas estão estreitamente relacionados em tempos de crises econômicas mundiais, ataques aos sistemas democráticos e aos direitos fundamentais das populações em cada Estado-Nação. A Educação pública e gratuita, inserida neste contexto também passa por ataques e tem que lidar com um sem número de questões que vão se refletir em seu interior. No Brasil a anacrônica legislação migratória que datava de 1980, visava mais garantir a defesa do território ante as “ameaças” vindas de fora do que propriamente regulamentar as políticas inseridas em uma proposta humanitária, tendo em vista que se avolumam as migrações nas últimas décadas por fatores econômicos e de pessoas que fogem de genocídios, de guerras e solicitam refúgios em diversos países em todos os continentes.

A antiga legislação foi substituída pela Lei ordinária n.º 13.445 de 20 de maio de 2017 que se assenta por princípios de equidade entre brasileiros de estrangeiros com foco na pessoa humana, independente de onde estas pessoas tenham vindo. A lei é um avanço porque se insere nas políticas de direitos humanos que não veem o outro, o estrangeiro imigrante como uma ameaça à segurança nacional. Mas como garantir a sua materialização? Frente a tantas demonstrações de intolerância em redes sociais e imagens veiculadas nos meios de comunicação como agressões a Venezuelanos que tentavam ingressar no país? E, após os conflitos, o próprio fechamento das fronteiras?

Educar nas Américas é hoje um desafio pelas transformações que ocorrem naquele velho mundo ocidental eurocêntrico que conhecíamos. As relações a serem estabelecidas são agora de todos os lugares, como a educação poderá contribuir para essa diversidade e pluralidades identitárias mundiais?

Crise, subdesenvolvimento, pobreza, miséria e dor acometem bilhões de pessoas no mundo todo e isso tem forçado as pessoas a migrarem levando-as a se espalharem – a dispersão forçada. O termo diáspora foi inicialmente dado a partir da diáspora judaica, mas o conceito foi estendido de forma metafórica, a partir dos anos de 1980, para outras categorias de expatriados e, portanto, distinto do uso inicial que lhe deu origem. Estudiosos como Cohen (2003) ressaltam que o uso do termo carece de ampliação e revisão crítica para ser coerente com as transformações da pós-modernidade e os efeitos da desterritorialização promovidos pela globalização. Para ele, uma quarta fase a partir do século XXI deve tomar a diáspora judaica como ponto de partida para a conceituação e como característica central, a tensão entre aquilo que foi deixado para trás e a esperança do retorno.

Neste ano pretendemos reunir professores, pesquisadores, dirigentes educacionais das redes públicas estaduais e municipais de Jataí e do sudoeste goiano, bem como, toda a sociedade brasileira, seus segmentos institucionais e, sobretudo, os movimentos sociais, de forma a poder avançar no pensamento educacional e sua relação com a política e a sociedade, encaminhando ações que articulem estes dois pilares – DEMOCRACIA e EDUCAÇÃO – como relação possível para uma sociedade mais tolerante, mais plural.

O Congresso de Educação do Sudoeste Goiano é uma atividade bianual realizada pela Unidade Acadêmica Especial de Educação (UAEE), pelo Curso de Pedagogia e pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado em Educação) da Universidade Federal de Goiás-Regional Jataí.

A UFG, primando por uma sólida formação ética, política, pedagógica e profissional por meio da Coordenação Geral do evento e da realização deste Congresso, reafirma seu compromisso na difusão dos princípios de uma universidade democrática, pública e gratuita que garanta a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

Desta forma, o CONADE 2019, está estruturado em palestras, minicursos, sessões de apresentação de trabalhos nos formatos comunicação oral e exposição de pôsteres. Os trabalhos serão avaliados, organizados e apresentados a partir dos simpósios temáticos:

  • ST 1 Fundamentos da Educação
  • ST 2 Políticas, Gestão e Formação Docente
  • ST 3 Teorias e Práticas Pedagógicas em Educação
  • ST 4 Educação, Diversidade, Cultura e Inclusão
  • ST 5 Cultura e Processos Educacionais
  • ST 6 Estudos das relações interdisciplinares de gênero
  • ST 7 Cinema, Literatura e educação
  • ST 8 Ensino de História e cultura afro-brasileira e indígena: Novos e velhos desafios
  • ST 9 Democracia e educação: História, Identidades e práticas culturais
  • ST 10 Educação, existência e alteridades: experiências estéticas para a democracia
  • ST 11 História regional e local: Reflexões e desafios de pesquisa

Para visualizar a ementa de cada Simpósio Temático favor CLICAR AQUI.

Os Simpósios Temáticos são o lócus em que a articulação Democracia e Educação serão efetivadas.

Esperamos que haja o máximo de aproveitamento e participação em todas as atividades propostas: conferências, mesas-redondas, grupos de trabalhos, simpósios temáticos, lançamento de livros, atividades culturais, dentre outras. Além disso, espera-se que as temáticas propostas atendam aos anseios da comunidade participante e que, a partir delas, surjam novos apontamentos.

Objetivamos congregar aproximadamente 400 participantes neste evento, dentre eles, docentes da rede pública municipal e estadual, discentes e pesquisadores de diversos cursos e de diferentes áreas: Humanas; Linguística, Letras e Artes; Exatas, Biológicas e da Saúde; bem como docentes e pesquisadores da graduação e pós-graduação, de todo o país e do exterior.

Aguardamos todos e todas, entre os dias 27 a 29 de agosto de 2019, aqui na UFG com seus trabalhos e relatos de pesquisa, com seus minicursos e oficinas.

Certamente serão dias de muito aprendizado e reflexão.

A COMISSÃO